Quem me conhece bem ou conviveu comigo na infância e adolescência sabe como eu sempre fui noveleiro. Algumas são mais marcantes que outras, porém, existe uma especial. Posso citar como exemplos algumas que me marcaram: Pantanal ( Manchete), Roque Santeiro (Globo), Carrossel (SBT), Quatro por Quatro (Globo), Perdidos de Amor (Bandeirantes) e por aí vai.

Duas eu considero mais importantes. A Indomada (Globo) e Por Amor (Globo).

A Indomada ficou muito marcada pra mim pela trilha sonora. Eu também fazia coleção de trilha sonora de novelas e séries da TV nesta mesma época, e a A Indomada me cativou muito ao combinar a trilha com seus personagens, foi encaixe perfeito. Na minha opinião umas das melhores trilhas sonoras de novela. Que fica páreo duro com a trilha de O Rei do Gado.

Na época que passava A Indomada, eu morava com meus pais em Realengo e estudava num colégio próximo. Me lembro que chegava da escola e encontrava mamãe, que já estava doente, mas em tratamento.

No entanto, a novela que pra mim tem um lugar eterno em meu coração é Por Amor. Por diversos motivos. Quando ela começou no dia 13 de outubro de 1997, minha mãe se internou no hospital.

Havia passado mal em casa. Eu não imaginava que aquela internação seria uma das últimas de mamãe. Me lembro que quando passou o primeiro capítulo eu estava lanchando com meu pai e observava pela tv o início dessa história, ainda com saudades de A Indomada.

Por Amor, trouxe temas delicados, e pra época, a problematização de alguns temas não teve profundidade. Mas a novela foi conduzida de forma cuidadosa e hoje 22 anos depois é um clássico da teledramaturgia brasileira.

Marcada também pela ótima trilha sonora nacional e internacional, trouxe a história da mãe que trocou seu filho vivo pelo morto da filha, “Por Amor”. Ontem (11/10/2019) chegou ao fim a sua quinta passagem na tv , sendo a segunda vez no Vale a Pena Ver de Novo e mais duas vezes no Canal Viva, e continua batendo recorde de público.

Por Amor, é uma novela muito simbólica devido a estar comigo nos últimos momento de vida de minha mãe. São 22 anos desde a exibição original, mesmo tempo de morte de mamãe. Assistíamos alguns capítulos juntxs e quando mamãe se foi, tive que lidar com sua ausência e saudade, também, no momento da novela, o que me trazia tristeza e dor. Acredito, que por ver o amor que transbordava de alguns personagens e a atitude da mãe, a relação de Eduarda – Gabriela Duarte e Helena – Regina Duarte me emocionavam. Algumas músicas chegaram a ficar sensíveis pra mim.

Como Per Amore – Tema de Helena e Atílio (Antônio Fagundes), interpretada por Zizi Possi e Paralelas – Tema de César (Marcelo Serrado), na voz de Elba Ramalho. Minha mãe havia me dado de presente o cd de Zizi Possi, que tem o mesmo nome da música da trilho sonora.

A novela abordou o tema do luto sucintamente, e eu estava ali vivendo o meu. Junto com os personagens. Durante muito tempo, eu tive uma relação complexa com essas duas músicas. Hoje eu aprendi a lidar melhor com o que sinto e com a saudade. Cenas como a do médico César e o Atílio, até o último capítulo pai enlutado, me faziam chorar.

Então, foi mais uma vez em contato com essa novela e com pessoas que conheci esse ano que pude ressignificar meus sentimentos em relação ao que a ausência de minha mãe causava em mim.

Foi entrando em contato com o meu luto através do amor de filho que pude perceber o meu coração e acessando um amor que estava adormecido. Entender que ele nunca morrerá no meu coração e que nunca deixarei de ser filho da D. Valquíria é um entendimento importante.

Conhecendo o Daniel, que hoje é um amigo querido, que eu pude estar em contato com o projeto O Luto do Homem e pude junto com demais homens enlutados entender que eu posso olhar para a minha mãe com saudade e amor. Que é possível. Que haverá dias de dor, tristeza e que isso também é ok, que posso chorar e ficar triste, mas que também terá amor e legitimidade do meu amor de filho e o dela de mãe mesmo ela não estando mais aqui, pois isso, nunca será apagado, jamais. Hoje participar dos encontros do Luto do Homem me fazem melhor e acalenta meu coração.

Ficou nítido pra mim ontem ao ver o último capítulo da novela Por Amor mais uma vez.

Eu sou grato por poder entender esse amor. Eu desejo que outras pessoas entendam.

Obrigado mamãe, te amo eternamente.

Hoje é um dia de amor, Por Amor. <3

Assine a nossa Newsletter

RECEBE AS NOVIDADES SOBRE O PROJETO

QUERO ME CADASTRAR